sexta-feira, 18 de junho de 2010

Morre Saramago, o mago.

"O fracasso do capitalismo financeiro, hoje tão óbvio, deveria ajudar-nos na defesa da dignidade humana acima de tudo."*


Uma chama que não cansava de irradiar luz se apagou, se extinguiu.
Perdemos uma referência de luta, de visão de mundo, de marxista, de escritor, de prêmio Nobel, de marido, de sábio, de mestre!

José Saramago se vai, e sua obra fica.

Eu, que já postei aqui sobre seus livros, "Caim" e "Ensaio sobre a cegueira" me sinto totalmente vazio ao saber que o mundo ficou mais ignorante sem Saramago.

Deixo aqui um trecho tirado da UOL para concluir este post:

"Fã de ironias, afirmou na ocasião que a pergunta sobre sua militância de esquerda apesar dos crimes cometidos na União Soviética é “inevitável em qualquer entrevista”. “Poderia perguntar à pessoa se ela era católica. Provavelmente me diria que sim. E eu teria que perguntar, para seguir na mesma linha: ‘Depois da inquisição, como é que você continua a acreditar?’”, afirmou.
“Sou aquilo que se podia chamar de um comunista hormonal. Da mesma maneira que tenho no corpo, não sei onde, um hormônio que me faz crescer a barba, há outro hormônio que me obriga, mesmo que eu não quisesse, por uma espécie de fatalidade biológica, a ser comunista. É muito simples”, disse."



* La Vanguardia, Barcelona, 12/2009

2 comentários:

Hélder disse...

"o mundo ficou mais ignorante"... =/
Não há palavras para expressar a tristeza do mundo em perder uma das mais brilhantes mentes, em tantos assuntos...
E lá se vai mais um MESTRE da atualidade...

.Luks disse...

Nem fale, Hélder!
Obrigado pelo seu comentário!